Psicóloga Lilian Reis
Por que uma pessoa se mata?

O desespero beira o insuportável. A cada dia, o sofrimento – físico ou emocional – fica mais intenso e viver torna-se um fardo pesado e angustiante. Sua dor parece incomunicável; por mais que você tente expressar a tristeza que sente, ninguém parece escutá-lo ou compreendê-lo. A vida perde o sentido. O mundo ao seu redor fica insosso. Você sonha com a possibilidade de fechar os olhos e acordar num mundo totalmente diferente, no qual suas necessidades sejam saciadas e você se sinta outro. Será que a morte é o passaporte para essa nova vida? Leia mais

Janeiro Branco – Por uma cultura da saúde mental

A Campanha Janeiro Branco pode ajudar o mundo a ser um lugar melhor!

Uma campanha dedicada a mostrar às pessoas – e à sociedade – que os seres humanos são seres de conteúdos psicológicos e subjetivos, que suas vidas, necessariamente, são estruturadas em torno de questões mentais, sentimentais, emocionais, relacionais e comportamentais, sendo, portanto, imperioso e necessário, que a subjetividade humana possua lugar de destaque em nossa cultura e em nossos cotidianos, sob pena de sermos vítimas de nós mesmos e de quem despreza as próprias necessidades psicológicas e as necessidades psicológicas alheias.

Leia mais

TDAH – Um Olhar Gestáltico
TDAH

O termo Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade tem sido utilizado para definir pessoas que possuem dificuldade em manter-se atentas, inibir impulsos e que apresentam uma coordenação ou controle muscular pobre. O TDAH é um dos distúrbios comportamentais mais diagnosticados da infância (3 a 5%) e isso se deve, em parte, a erros de diagnósticos. Devido à falta de compreensão daquilo que constitui a essência  de uma criança hiperativa. Leia mais